Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Tribunal de exceção

Dois pesos e duas medidas do Conselho de Ética do Safesp que colhe depoimento de quem acusa, mas se quer ouve o acusado


O titulo deste post vem a calhar com a situação que segue abaixo. Normalmente a definição está relacionada com situações similares que são tratadas de formas completamente diferentes, seguindo critérios aleatórios e a mercê da vontade das pessoas que de forma ditatorial as executam.

Na ultima terça-feira (26), o Conselho de Ética do Sindicato dos Árbitros do Estado de São Paulo (SAFESP), esteve reunido para ouvir o associado e membro afastado do Conselho Fiscal Márcio Jacob. O conselho, que segundo algumas informações, formado as pressas e sem nenhuma reunião realizada até então, teria se reunido para apurar a denuncia do associado de que o presidente teria pedido que este assinasse relatório aprovando as contas da entidade sem sequer ter analisado as mesmas.

Acompanhado do advogado Clayton Coutinho, Jacob (foto ao lado) foi recebido às 19hs pelos membros Wilson Padeiro, João Eduardo, Maria Aparecida dos Santos e Benedito Martinho Correia de Oliveira, também conhecido como Benê que apesar das constantes humilhações que sofre até mesmo às vezes em publico é visto à longa data como principal ‘lambe saco’ do presidente Arthur Alves Junior.

Demonstrando arrogância, falta de educação e claro desconhecimento das leis deste país, em determinado momento, Benê, presidente do conselho, teria dito que estava sendo benevolente ao permitir a participação na reunião do advogado do convocado o que foi imediatamente rechaçado pelo mesmo que disse que seu cliente tem direito constitucional a um advogado quando convocado a dar depoimento ou prestar esclarecimento em qualquer órgão deste país.

Após argumento esclarecedor do advogado, Márcio Jacob deu prosseguimento ao depoimento questionando o porquê foi convocado e porque sequer foi comunicado pelo Conselho de Ética sobre qual assunto seria ouvido tendo em vista que a carta não especificava os motivo da convocação (veja abaixo).


Questionado se tinha conhecimento do uso do cartão corporativo pelo presidente do Safesp (denunciado nesse espaço), Jacob respondeu que só tinha tomado conhecimento do fato pela imprensa e que seu depoimento reproduzido em uma matéria era sobre o fato de ele ter sido constrangido a assinar o relatorio do Conselho Fiscal na presença do antigo chefe da arbitragem paulista Marcos Cabral Marinho dentro da sala da Comissão de Arbitragem da Federação Paulista de Futebol (FPF).

Jacob pediu que as perguntas fossem sobre esse fato, mas mesmo assim, segundo ele, elas seguiram de forma capciosas e tendenciosas visando que o mesmo confirmasse algo que não tinha dito.

O convidado questionou o fato de somente ele ter sido afastado do cargo após as denuncias e que nada foi feito pelo CE para apurar as denuncias gravíssimas contra seu presidente.

“Se eu não estou exercendo minhas funções como conselheiro fiscal, porque estou sendo investigado no Conselho de Ética, porque então o presidente continua exercendo suas atividades normalmente sendo que também foi pedida apuração sobre as varias denuncias que surgiram contra ele?”

Jacob, de forma indignado, ainda acrescentou:

“Eu que em nenhum momento fui sequer comunicado pelo sindicato do que estava sendo acusado e teria que prestar esclarecimentos e ele (Arthur) com todas aquelas acusações não foi sequer ouvido pelo Conselho de Ética. Muito estranho isso tudo, é dois pesos e duas medidas” – encerrou Márcio Jacob.

Benedito Martinho Correia de Oliveira durante reunião do Safesp
No auge das denuncias de assedio moral e sexual - publicadas aqui neste espaço e por outros veículos de comunicação como Uol e Folha de S. Paulo - contra Arthur Alves Junior, o vice-presidente, Leonardo Pedalini, enviou carta registrada para a entidade exigindo que fosse feitas apurações sobre as denuncias contra o presidente do Safesp, mas não se tem noticia que algo tenha sido feito para atender o pedido do vice democraticamente eleito conforme vontade dos associados.

Na conferencia final do depoimento de Jacob antes de ser impresso em papel, foi notado que a transcrição  feita pelo membro do CE João Eduardo não reproduzia com exatidão as informações prestadas pelo convocado, fato pelo qual foi pedida a retificação do documento por parte do advogado do associado. Como a solicitação foi arbitrariamente negada pelo responsável pela elaboração do documento sendo que o presidente  tinha se retirado da sala para atender outro compromisso, o documento não foi assinado e assim o depoimento perdeu qualquer validade tornando a reunião nula.

Opinião

À distância, a impressão que fica é que o que deveria ser a maior entidade sindical de arbitragem deste país, por culpa dos omissos e covardes árbitros paulistas que por inércia permitem a situação, se transformou num tribunal de exceção onde quem não reza pela cartilha da presidência é perseguido sem qualquer direito a defesa enquanto o mandatário, dono do poder supremo e sem qualquer respeito ao estatuto da entidade, se acha no direito de fazer o que bem quer usando para isso pau mandado e lambe saco de plantão que vive de migalhas oferecidas pelo sistema!

Frase: Ambição, perseguição, corrupção, princípios de um político ladrão. Onde a vítima é o cidadão (Douglas de Lima Costa Pindoba Pindobinha).

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Árbitro "Padrão CBF"

Peladão da internet e queridinho de Sérgio Corrêa faz lambanças na Vila

O regulamento de arbitragem especifica que o árbitro deve manter a descrição, abster-se de quaisquer atos da sua vida pública ou que nela se possa repercutir que se mostrem incompatíveis com a dignidade indispensável ao exercício das suas funções de árbitro.

A Comissão de Arbitragem da CBF, formada em sua maioria por homens vindos da área militar, que tiveram a vida pautada na hierarquia, regulamentos e descrição como base, que signatária do RGA da FIFA adota esses procedimentos com os árbitros do quadro nacional.

O regulamento deveria impedir que pessoas usassem a função de árbitro para alavancar carreiras fora das quatro linhas como uma famosa assistente do passado que pousou nua para uma revista masculina sendo posteriormente premiada com um importante cargo na CBF.

Mas como cobrar alguma coisa se nem mesmo a CA-CBF segue seus regulamentos e seu presidente Sérgio Corrêa sequer respeita o que escreve e faz virar lei.

Alguns árbitros que ousaram sair da linha com comentários ou fotos em redes sociais rapidamente foram relegados ao esquecimento. Já outros, que contam com a benevolência de Corrêa e até mesmo o peso de sua federação local com pedido pessoal do seu presidente, têm livre conduta para fazer, refazer o que quer e ainda assim contar com apoio da CA-CBF.

Estou falando do baiano Diego Lopes Pombo, também conhecido como “peladão da internet”, um árbitro comum e o pênalti inexistente marcado seguido de cartão amarelo injusto para o goleiro no jogo de ontem a noite deixa isso bem claro.

Não se sabe os motivos - alguns dizem que seria um prêmio pelo mesmo ter retirado sua assinatura do processo que a Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (ANAF) move contra a Rede Globo - mas Pombo, que ficou mais conhecido com os dois vídeos seu se masturbando postados na internet que pela qualidade como árbitro de futebol é um dos queridinhos de Sérgio Corrêa que tenta a todo custo alavancar sua carreira. 

Pelos vídeos, pode se notar que o modelo gosta de trabalhar com as mãos e demonstra sentir prazer com isso, já com o apito na boca suas qualidades são duvidosas, menos para o chefe da arbitragem brasileira!

Quem quiser pode ver os vídeos clicando nos links de sites adultos abaixo disponibilizados.



Sugiro para quem trabalhar com ele evitar os comprimentos, pois certamente apertar suas mãos não seja aconselhável!

A proposito, seguindo o plano de emplacar o peladão da internet no apito, ontem ele foi escalado na partida Santos 3x0 Gama pela Copa do Brasil e conseguiu fazer lambança em uma partida morna e que seria sem qualquer dificuldade para um árbitro com o mínimo de qualidade de apito, o que certamente ele não tem!

Veja os melhores lances da partida abaixo.



Frase: A sua perplexidade é a minha privacidade contando os seus erros para demonstrar a realidade (Julio Aukay).

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Presidente da ANAF vai tirar licença para concorrer nas próximas eleições

Marco Martins vai se licenciar para concorrer a vereador de Florianópolis-SC. Vice mais velho, Jamir Garcez, assume


Na próxima sexta-feira (10), os integrantes da diretoria da Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (ANAF), estarão reunidos na sede da entidade no Município de São José em Santa Catarina, para troca de comando. Sai o catarinense Marco Antônio Martins, 44 anos, eleito em 02/07/2010 e reeleito em 30/06/2014 com mandato até 2019 e assume em seu lugar, conforme o Art. 39 paragrafo único do estatuto da entidade, o vice mais velho, o ex-árbitro CBF Jamir Carlos Garcez (44), de Brasília.

Martins vai se licenciar do cargo por um período de 120 dias para concorrer a vereador de Florianópolis-SC pelo PTdoB.

As probabilidades de eleição são bastante favorável ao candidato pela longa história de envolvimento com as causas do município, o que impossibilitara reassumir a presidência da ANAF. Existe ainda informações de bastidores que caso mesmo não obtenha exito pretendido, Martins não reassumiria mais a entidade para se dedicar a família e outros projetos.

Legado

Marco Martins tem um histórico de lutas e conquistas frente à ANAF. Juntamente com o pernambucano Salmo Valentim enfrentou durante a primeira eleição em 2010 após longa disputa judicial a tirania do paulista José de Assis Aragão que foi um dos candidatos derrotado e a arrogância do então presidente Jorge Paulo de Oliveira Gomes de Brasília que teimava em não largar o osso.

Ao assumir o cargo recebeu a entidade sucateada, endividada e sem sequer uma sede para serviços burocráticos. Com austeridade, competência e empenho conseguiu reequilibrar as finanças e reerguer a entidade que mantem desde então sede em São José, região metropolitana de Florianópolis-SC.

Jamir Garcez preside sindicato do DF assume ANAF por 120 dias

Posteriormente com um trabalho árduo de formiguinha e conscientização dos árbitros, juntamente com a CBF que atendeu varias reivindicações da categoria, obteve conquistas pontuais para a arbitragem sendo que a mais importante foi a profissionalização em 2013.

As diretorias

Martins foi presidente da sexta e preside a sétima diretoria da história da ANAF. Em 2010 ele dirigiu a entidade tendo o gaúcho José Pessi como vice, Arthur Alves Junior de São Paulo como Secretário Geral e o pernambucano Salmo Valentim como o tesoureiro.

Na ocasião o Conselho Fiscal foi composto por Manoel Márcio Bezerra Torres do Ceará, Agnel Farias Mozzer de Minas Gerais e Carlos Augusto de Almeida Lima do Pará.

Já os suplentes foram João Gomes Jacome do Acre, Luis Alberto Kallemberger de Santa Catarina e Fernando José de Castro Rodrigues do Pará.

Assim é composta a atual diretoria com mandado até 2019.

Marco Martins - Presidente; Almir Alves de Mello - Secretário Geral e Salmo Valentim - Tesoureiro.

Vices-presidentes Regionais: Jamir Carlos Garcez, Fernando José de Castro, Arthur Alves Junior, Roberto Braatz e Arilson Bispo da Anunciação.

Conselho fiscal efetivo: Manoel Márcio Bezerra Torres; Luiz Alberto Kallenberger; Carlos Alberto Nunes Castro. Conselho suplente: Charles Hebert Cavalcanti Ferreira; Lincoln Ribeiro Taques e Ronaldo André Bento.

Frase: Política é como nuvem. Você olha e ela esta de um jeito. Olha de novo e ela já mudou (Magalhães Pinto).

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Aspirantes FIFA

Conheça os doze apóstolos de Sérgio Corrêa


No dia 12 de maio, a Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CA-CBF), comandada desde 2007 pelo paulista Sérgio Corrêa da Silva (com intervalo de 21 meses entre agosto de 2012 e maio de 2014 onde a chefia passou para Aristeu Tavares e Antônio Pereira da Silva), divulgou a lista RENAF (Relação Nacional dos Árbitros de Futebol) com 544 nomes de árbitros e assistentes indicados pelas federações de todos os estados do país.

A lista trás a posição de cada árbitro no ranking nacional, fato que deve ser elogiado, pois de forma transparente, a CA-CBF divulga em vários documentos disponíveis no site da entidade as notas e tempos obtidos pelos árbitros e assessores nos testes físicos e teóricos realizados ao longo do ano e que serve como parâmetro para a formação do ranking.

Entre os nomes divulgados estão os doze novos apóstolos, ou seja, os novos aspirantes FIFA 2016 e é sobre eles que essa matéria ira falar.

O regulamento de arbitragem da CBF diz que a categoria poderá ser composta por até vinte membros e assim seria divulgado, mas duvidas fizeram com que a comissão de arbitragem deixasse uma vaga em aberto. Quem seria o vigésimo, ou décimo terceiro apóstolo? Você arrisca um nome? O Apitonacional tem informação não confirmada que dois nomes concorriam a ultima vaga e esse apóstolo viria do norte ou centro oeste brasileiro. Mas como é só especulações, vamos deixar esse assunto para outra oportunidade.

Não se sabe os motivos de um quadro tão inchado, pois se levarmos em consideração vários aspectos, dos 19, quatro ou cinco tem condições de tocar qualquer jogo e os demais entram na conta da ‘esperança’ que com o escudo ganhem confiança e respeito para mostrarem dentro de campo o que até aqui, na minha opinião, não mostraram. E olha que tem alguns com vários anos de apito e outros que foram promovidos agora, mas já deveriam estar saindo!

Analisando a lista dos 12 que entraram, dois sequer atuaram em uma partida da série A antes da promoção (Eduardo Valadão de Goiás e Rafael Traci do Paraná). Aliás, Valadão tem 14 anos de arbitragem, já apitou até final de estadual no qual foi eleito o melhor da competição. Mesma situação vive o paranaense Rafael Traci que tem uma década de apito e já apitou duas vezes a final do estadual. Será que o escudo fara esse milagre! Com Traci talvez e até torço por isso, mas Valadão...

Outra promoção emblemática é a do pernambucano Gilberto Castro, 36 anos, 16 desses na arbitragem. Castro era apontado como a revelação pernambucana, o tempo passou e a instabilidade técnica dentro de campo, a arrogância e o mau humor fora dele brecaram sua ascensão. Já apitou até final de estadual, mas também já fez muitas lambanças e foi promovido justamente quando vive sua pior fase técnica ficando inclusive fora da fase final do estadual desse ano.

E o baiano Marielson Silva hein! Também foi promovido. Se bem que esse é um bom árbitro, sabe apitar, mas precisa ser mais bem observado antes de qualquer conclusão. Marielson é o típico árbitro que se perde quando pressionado e todos sabem disso. Não posso deixar de lembrar a carreira que deu em Florianópolis fugindo de um jogador do Figueirense. A cena foi patética e como um menino mimado buscou a proteção policial como se fosse à barra da saia da mãe! Tem no currículo que lutou karatê e que apitou várzea ainda com 14 anos. Pela carreira... Duvido!

Bem, poderia citar outros casos, mas não quero me alongar mais. Sei que esse texto aumentara minha rejeição com alguns, mas dei minha opinião e não sou o dono da verdade respeitando todas as demais. Basta que você de a sua aí nos comentários.

Mas veneno a parte e como sou da arbitragem, mesmo sabendo que estatisticamente a maioria fracassara, estou torcendo para que provem não pra mim, mas pra vocês mesmos que são capazes e merecedores do escudo tão importante que agora carregam no peito.

Vocês agora são da elite, portanto se portem como tal e se dediquem para retribuir a confiança da CA-CBF depositada em vocês.

O site apitonacional disponibiliza no link quadro FIFA o perfil de cada um deles. Clique aqui e saiba mais sobre a careira dos árbitros promovidos.

Frase: “Não se deve julgar o mérito de um homem pelas suas grandes qualidades, mas pelo uso que sabe fazer delas” (Jean de la Bruyere).

segunda-feira, 30 de maio de 2016

É oficial: árbitro de vídeo somente em 2017

IFAB frustra planos da CBF e veta experiências este ano. Entidades interessadas terão que seguir rigoroso cronograma


Em contato com fontes em Amsterdã (Holanda), onde ocorreram na semana passada três dias de workshop em torno de experimentos sobre árbitros de vídeo, o Apitonacional, após as devidas traduções, informa que as experiências só acontecerão a partir de 2017.

Após insistentes pedidos da CBF junto a International Football Association Board (IFAB) para que fossem liberadas as experiências ainda neste brasileiro, a entidade mundial respondeu negativamente alegando que primeiramente varias etapas devem ser superadas. Segundo a fonte, o IFAB apresentou um cronograma para mais de vinte países interessados e todos terão que cumprir rigorosamente e apresentar os resultados das experiências para uma analise final.

Faz parte do cronograma um extensivo questionário onde deverá contar os responsáveis, as empresas que operarão o sistema, os estádios onde serão realizados as experiências, quais competições, instrutores e árbitros que deverão passar por rigoroso treinamento com acompanhamento de técnicos da IFAB.

O Brasil, na tentativa de antecipar a permissão, apresentou vídeos dos dois jogos da final do campeonato carioca de 2016 onde realizou as experiências com apoio da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FFERJ).

Da esquerda para a direita: Manoel Serapião, Lukas Brud, David Elleray e Sérgio Corrêa em reunião sobre árbitro de vídeo
Segundo um representante da empresa que ajudou nos testes e presta serviço para a Rede Globo, os resultados foram bastante satisfatório e empolgaram a todos os envolvidos. Segundo ainda este representante, a cabine do árbitro de vídeo para a experiência feita no estádio do Maracanã, foi construída sob supervisão de um engenheiro, pois o espaço teria que abrigar quatro pessoas sendo dois operacionais (técnico e operador de sistema) e dois técnicos (assistente e árbitro de vídeo).

A não autorização frustrou as expectativas da Comissão de Arbitragem da CBF que alega ter todo experimento pronto para ser executado, mas por conta da extensa exigência do IFAB, este ano de 2016 será destinado para treinamentos para os árbitros, testes off-line - sem comunicação com o árbitro - (no mínimo quatro partidas) e outros testes com comunicação - neste caso em partidas amistosas -.

Portanto contrariando a vontade e frustrando os objetivos da CBF, a IFAB determinou que as experiências só ocorressem em 2017. Para que isso fosse possível, fechou acordo com as federações interessadas para que elas cumpram rigorosamente o cronograma que receberam.

Frase: “Se você não se atrasar demais, posso te esperar por toda a minha vida” (Oscar Wilde).

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Representante dos árbitros planeja assumir presidência do STJD

O paulista Ronaldo Botelho Piacente, auditor indicado em 2012 ao pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pela Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (ANAF) planeja um upgrade no órgão. Piacente que Atualmente ocupa o cargo de vice da casa planeja se candidatar à presidência da corte máxima do futebol brasileiro caso seja reconduzido na próxima composição de turma prevista para ocorrer no máximo no começo de agosto.

A presidência do STJD ficará vaga porque Caio Rocha, atual detentor do cargo, não poderá se reeleger pelo limite de mandato (2). Piacente espera ser indicado novamente, mas enfrenta resistência dentro da ANAF que tem dado dicas que indicara outro nome. Sabedor da recusa da entidade dos árbitros, já estuda um plano B através do bom trânsito na CBF e na Federação Paulista de Futebol.

Quem é Piacente

O advogado paulista Ronaldo Piacente é homem forte (braço direito) de Marco Polo Del Nero na justiça desportiva. Foi assim em São Paulo onde ele era presidente do TJD paulista e é assim no STJD onde ocupa a vice e lutara, tudo indica, para ser presidente no próximo mandato.

Quando assumiu a CBF juntamente com o Presidente José Maria Marin, Marco Polo teve como primeiro desafio a composição de uma corte favorável à CBF. A indicação dos auditores, principalmente os do Pleno, reforçou a imagem de Del Nero como homem mais influente do futebol brasileiro na era pós Ricardo Teixeira.

Oficialmente, o então vice-presidente da CBF e presidente da Federação Paulista de Futebol a época não tinha poderes para indicar os novos integrantes do Superior Tribunal de Justiça Desportiva. Mesmo assim, após negociações de bastidores (como mostra os e-mails divulgados pela ESPN) aliados seus foram indicados pelas entidades que têm esse direito.

Fazendo parte do pacote dessas negociações e contando com a preciosa intermediação de Sérgio Corrêa, Piacente foi conduzido ao STJD por indicação da ANAF (Associação Nacional dos Árbitros de Futebol) graças ao alto prestígio do cartolão junto aos dirigentes da arbitragem brasileira.

Segundo os e-mails divulgados, a indicação de Piacente custou praticamente nada à CBF e não trouxe ganho algum para os árbitros. No acordo, os árbitros obtiveram três vagas de auditores nas turmas de primeira instancia do STJD e uma foto (abaixo) com o então presidente José Maria Marin com o presidente da ANAF para ser divulgada no site da representante dos árbitros.

A titulo de informação, Piacente nunca colocou um apito de árbitro na boca ou sequer pegou em uma bandeira na mão, tão pouco foi a qualquer evento da arbitragem brasileira, mas é o representante do apito na Justiça Desportiva.

Frase: “A vida não consiste em ter boas cartas na mão e sim em jogar bem as que se tem” Josh Billings.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Pergunte no posto Ipiranga

Cooperados indignados com má gestão elege novo financeiro, trocam conselho fiscal e convocam assembleia para destituir atual diretoria da Cooperativa dos Árbitros do Rio de Janeiro


No dia 31 de maio, uma quinta-feira, ocorreu assembleia para prestação de contas da Cooperativa de árbitros do Estado do Rio de Janeiro (COOPAFERJ). Na reunião realizada no auditório da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ), vários fatos inusitados aconteceram, teve lista com os nomes de quem podia entrar no prédio, cooperado legalmente impedido de entrar, cooperado ameaçado de expulsão do recinto, aliado se rebelando ou Rabelando, dirigente dizendo que não sabia onde estava o dinheiro e, pasmem, sequer sabia até mesmo que era dirigente.

O cooperado José Alexandre Barbosa Lima, ex-membro da comissão de ensino da COAF foi barrado na portaria da FERJ, pois só subia para o primeiro andar quem estava na listagem. A alegação foi que ele não pertence mais ao quadro da cooperativa.

A assembleia foi aberta com a indicação de Sérgio Montovani Cerqueira para presidir os trabalhos acompanhado na mesa pelo presidente Messias José Pereira e pelo contador Neftali Moraes.

O edital de convocação aponta o numero de 567 cooperados da Coopaferj, destes, cerca de quinze ou pouco mais, estiveram na assembleia e a grande surpresa foi à presença Péricles Bassols Pegado Cortez, árbitro FIFA do de Janeiro e histórico aliado de Jorge Rabello, que segundo informações de bastidores, seria o verdadeiro mandatário de tudo que é feito e desfeito na cooperativa. Bassols teve atuação destacada na assembleia se RABELLANDO e por algum motivo ainda não desvendado, contraria a direção da cooperativa, o que não tinha ocorrido até então. Bassols não só questionou os dirigentes, mas como liderou outros poucos e corajosos cooperados que buscavam explicações de onde estava o dinheiro deles descontados nas partidas que atuaram.

Dando inicio aos trabalhos, Montovani leu o edital e deu andamento na pauta passando a palavra ao contador. Segundo os gráficos apresentaram em PowerPoint e narrados por Neftali, a Coopaferj deu lucro em 2015 de R$ 4.150,62. Valor oriundo de uma arrecadação de R$ 375.040,60 contra uma despesa de R$ 370.890.08.

Para evitar saia justa devido às ultimas denuncias de não pagamento de tributos por parte da cooperativa, só foram aceitas perguntas e indagações relativas a assuntos relacionados no edital de convocação (prestação das contas de 2015, eleição diretor financeiro e eleição conselho fiscal). Isso causou enorme constrangimento e principio de tumulto quando o cooperado Estevão Cunha da Trindade perguntou sobre INSS. Segundo informações de pessoas que estavam presente na areunião, Estevão foi ameaçado por Montovani de ser expulso da assembleia se insistisse com assuntos fora da pauta e os demais cooperados o convenceram a permanecer calado para que assim não fosse dado motivo para a suspensão da assembleia, o que visivelmente queriam os dirigentes naquele momento.

Todas as assembleias foram publicadas em edital, no site da Coopaferj, no site do sindicato e algumas no site da COAF” – disse Montovani respondendo a Estevão.



Com o fim da discussão acalorada, Péricles questionou os itens apresentados como despesas sem especificações, entre eles salários e ordenados e pediu a apresentação das notas fiscais ou equivalente comprovando os gastos. O FIFA queria saber de forma discriminada, quando foi aprovado e quem aprovou as despesas. Péricles ainda questionou porque a cooperativa gastou cerca de 40 mil com despesas com a sede em saquarema se, segundo ele, é em um endereço com um monte de empresas para reduzir custos.

Outro ponto abordado por Bassols foi outros 40 mil gastos com a manutenção dos rádios de comunicação usada pelos árbitros nos jogos. Segundo o FIFA, essa despesa seria de atribuição da FERJ. Péricles ainda questionou a manutenção informando que os rádios falham constantemente nos jogos e que usam os mesmo fones de ouvido desde 2010.

Indagado o que teria feito com o dinheiro do INSS descontados dos árbitros em borderô, Messias teria informado que foi utilizado como empréstimo para pagamentos de taxas de arbitragem dos campeonatos da FERJ quando esta estava com as contas bloqueadas pela justiça.

O ex-diretor financeiro Willian Nery, disse que duvidava que a FERJ devesse qualquer valor a Cooperativa. Fato confirmado pelo contador Neftali Moraes que disse que o empréstimo tinha sido quitado.

Um dos cooperados indagou sobre fundo de reserva, pergunta respondida pelo contador que teria afirmado existir, mas que não poderia dar detalhes por não te o valor exato naquele momento.

Segundo informações, o ex-diretor financeiro, Willian Nery e o Presidente Messias Pereira, afirmaram que não tinham conhecimento do movimento financeiro da cooperativa. 

“Na verdade arbitragem é um tanto quanto complicado porque as pessoas não se unem né! E quem esta no poder é unido” – Estevão Trindade.



Em um ponto destacado da assembleia, Péricles pressionou Messias Pereira para que este falasse onde estava o dinheiro descontado das taxas dos árbitros que segundo a o contador teria sido quitado pela Federação. Messias respondeu que estava emocionalmente abalado naquele momento, que não poderia responder e que os cooperados fizessem essa pergunta ao diretor administrativo (Jorge Rabello).

Segundo ainda Messias, no dia 11 de março, recebeu comunicado de Rabello onde o mesmo informava que Messias era o responsável e que ele não tinha nada a ver com isso.

Como ato concreto, por decisão unanime dos cooperados, foi eleito Péricles Bassols como diretor financeiro e aventada a possibilidade de destituição de toda diretoria atual, fato só não confirmado por não constar no edital. Em ato continuo um novo conselho fiscal foi eleito com a destituição do antigo que assim ficou:

Novo conselho eleito: Luiz Claudio Regazzone, Daniel Oliveira, Thiago Farinha, Itande Carneiro de Mendonça Filho e Daniel Alexandre.

Antigo conselho destituído: Daniel de Souza Macedo, Tevaldo Lemos Corrêa, Carlos Eduardo Nunes Braga, Daniel Wilson Barbosa de Castro, Wendel de Paiva Gouveia e Ivan Silva Araújo. 

Nenhum deles estava presente na assembleia com exceção de Carlos Eduardo Nunes Braga, membro do conselho desde a fundação da cooperativa, que chegou quando já tinha sido destituído do cargo. Braga teria alegado que não tinha conhecimento que fazia parte do conselho, que nunca aprovou seu nome e que não compareceu a qualquer reunião do conselho fiscal para aprovar contas.

Ficou decidido ainda que por não haver parecer do conselho fiscal, as contas referente exercício 2015 não foram aprovadas com a convocação de uma nova assembleia no próximo dia 18 de abril para apreciação das contas, votação da destituição da atual diretoria por má gestão e outras deliberações.

Estou emocionalmente abalado neste momento e não poderei responder sobre esse assunto. Não sei onde esta o dinheiro, pergunte ao Rabello Messias Pereira. 

Cooperados presentes na assembleia: Péricles Bassols, Estevão Cunha da Trindade, Rodrigo Corrêa, também conhecido como ‘palmito’, Thiago Farinha, Daniel Oliveira, Itande Carneiro, Luiz Claudio Regazzone, Jorge Roxo, Daniel de Oliveira, Rodrigo Carvalhaes de Miranda, Wagner Magalhaes, Wagner Rosa, Leandro Newley Ferreira Belota, João Batista Arruda, Carlos Eduardo Nunes Braga, Rodrigo Jóia e outros.

O que eles disseram:

O blog do Marçal procurou as principais pessoas envolvidas e citadas na assembleia. Leia abaixo o que elas falaram.

José Alexandre: “Sim, fui barrado pelo Messias por segundo ele estar fora há três anos, mas não é verdade, pois só me desliguei da comissão de ensino da COAFFERJ em 2015. Não solicitei desligamento e nem recebi nenhum informativo de exclusão da cooperativa”.

Péricles Bassols: Minha luta é pelo que descobri da cooperativa, a aposentadoria dos árbitros esta sendo roubada. Esse é o motivo da minha revolta.

Estevão Trindade: Na verdade ele (Montovani) ameaçou encerrar a assembleia caso eu continuasse a contestar por eu não ter pagado a anuidade desse ano. É uma situação um tanto que complicada porque ninguém quer se expor.

Na verdade arbitragem é um tanto quanto complicado porque as pessoas não se unem né! E que esta no poder é unido. As pessoas fora do poder, quem esta contestando, que deveriam se unir não se unem.

Também procurados, Jorge Rabello e Wilian Nery não responderam o contato até o fechamento deste post.


Frase: “O dinheiro não só fala como faz muita gente calar a boca” (Millôr Fernandes).

terça-feira, 5 de abril de 2016

40ª assembleia da ANAF
Muitas discussões, poucos avanços e nenhuma definição
Foto oficial do evento sem corte

No ultimo final de semana, dias 1 e 2 de abril, foi realizado a 40ª assembleia de trabalho da Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (ANAF). O evento que foi realizado nas dependências da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), contou com a presença de dezesseis presidentes e representantes de sindicatos e associações de árbitros de todo país.
Os presidentes de sindicatos foram: Luiz Carlos Câmara Bezerra (RN), Fernando José Castro Rodrigues (PA), Paulo Pereira (RO), Edson Antônio (GO), João Lupato (MS), Elicarlos Lima (PB), Arthur Alves Junior (SP), Hélio Prado (SC), Carlos Alberto Nunes Castro (RS), Arilson Bispo da Anunciação (BA), João Lucas (CE), Ronaldo André Bento (MG), Gilsomar Lopes (AC). 


Cerimônia de abertura
Ivaney Alves de Lima (SE) e Adriano Milczevisk (PR) representaram as associações de árbitros das quais são presidentes. Já Douglas Lino da Silva (AL) representou o sindicato de Alagoas.
Marco Martins (Presidente da ANAF) comandou os trabalhos contando com apoio de Salmo Valentim (Diretor Tesoureiro), Wagner dos Santos Rosa (Diretor Jurídico) e Almir Alves de Mello (Secretario Geral).
Também esteve presente no evento Ciro Camargo (RS) que falou sobre as cartas sindicais dos estados, Sérgio Cristiano que falou sobre escola de arbitragem, Marcineia Aparecida Oliveira (RO) que acompanhou o presidente do sindicato rondoniense na condição de secretaria e Ivan Carlos Bohn acompanhando o presidente da Associação dos Árbitros Profissionais do Paraná (APAF).
Os presidentes dos estados do Espirito Santo, Tocantins, Distrito Federal, Rio de Janeiro, Amazonas, Maranhão, Roraima, Amapá, Piauí, Pernambuco e Mato Grosso não estiveram presentes e nem enviaram representantes.
Obs. Nenhum árbitro catarinense esteve presente nos dois dias do evento.
Os trabalhos da 40ª Assembleia de Trabalho da ANAF foram abertos na sexta-feira com plenária dos presidentes. Logo após, às 20hs, foi realizada a cerimonia de abertura com a presença de autoridades e representantes dos sindicatos com a mesa assim sendo composta: Delfim Peixoto (Presidente da Federação Catarinense de Futebol (FCF), Alexandre Beck Monguilhott (Presidente do TJD/SC), Carlos Crispim (Associação dos Clubes de SC), Hélio Prado (Presidente em exercício do Sinafesc), Fernando Castro (representante da CBF) e Luciano Hostins (representante da Procuradoria Geral do STJD).

Galeria de fotos do evento.



Os trabalhos prosseguiram no sábado (2) com debates de vários temas relevantes para a arbitragem brasileira, entre eles o direito de imagem com a conquista através do pagamento de 0,5% da arrecadação dos jogos da Primeira Liga aos árbitros que participam da competição. Os representantes dos árbitros, devidamente qualificados com as eleições nos sindicatos, decidiram que o repasse entre os árbitros do direito de imagem será de forma igualitária independente da função exercida.
Com exceção do direito de imagem e do projeto da escola de arbitragem apresentada em uma breve explanação pelo instrutor CBF Sérgio Cristiano, o avanço em relação aos assuntos em pauta não tiveram nenhum progresso em relação as reuniões anteriores. Como novidade, Cristiano recebeu proposta da ANAF - a qual estuda - para desenvolver e ser o responsável direto pela implantação da escola de arbitragem da entidade que visa principalmente a formação de baixo custo e a formação a distancia abrangendo vários segmentos da sociedade, principalmente os que atuam na área esportiva.
Ficou definido ainda que a primeira reunião de trabalho de 2017 será realizada em Rio Branco no Acre nos dias 31 de março, 01 e 02 de abril. Uma conquista para o estado da região norte que além de abrigar a assembleia, contará com a presença dos principais dirigentes do apito brasileiro.  O evento será levado pela segunda vez à região norte - Belém do Para foi sede em 2013 - devido a participação ativa nos dois últimos anos de Gilsomar Lopes, Presidente do sindicato local.
Destaques
Positivo
A participação de Paulo Pereira (foto abaixo), presidente do sindicato rondoniense, que mesmo participando pela primeira vez e tendo como guarda costas sua esposa/secretaria, não se intimidou, foi bastante incisivo, bateu na mesa e exigiu atenção de todos para suas colocações inteligentes e quase que sempre serenas e pontuais. 


Paulo Pereira
A continuar assim, a 40ª assembleia de trabalho da ANAF proporcionou o nascimento de mais  mais um líder para a categoria!
Negativo
A participação de Arthur Alves Junior (Presidente do sindicato paulista) que reapareceu em uma reunião da entidade - da qual inexplicavelmente ainda é vice-presidente - desde que foi acusado de assedio sexual e moral por árbitros associados do sindicato que dirige. Arthur se portou como um cachorro acuado, bem diferente das reuniões anteriores onde ditava o rumo das conversas com suas indagações que sempre terminavam em debates acalorados.
Sempre de cabeça baixa, semblante depressivo e visivelmente envergonhado, o dirigente sequer podia ser ouvido por todos devido a fala baixa, conteúdo dispensável e sem nenhuma importância para as discussões.
Arthur Alves Junior
Em nenhum momento, nem Alves Junior ou qualquer outra pessoa presente no encontro mencionou algo sequer sobre as acusações que recaem sobre o dirigente paulista que se porta como um zumbi, que mesmo aparentemente morto, esta sempre pronto para dar o bote em busca de algo que o ressuscite. O sentimento de pena pela figura acuada e moribunda do dirigente, agregado ao corporativismo de todos que assim se tornaram coniventes, fez com que se perdesse a oportunidade para que os fatos fossem esclarecidos para decisões serem tomadas. 
A classe, unica que não se permite o erro, que ‘não basta ser honesta, mas precisa parecer honesta’, onde a grande maioria são pessoas de bem, que luta todo dia para provar credibilidade e ganhar respeito, perdeu uma grande oportunidade ao ser incapaz de cortar na própria pele ou até mesmo ter a coragem de abordar um assunto tão grave que envolve acusações de crimes que, se provados, poderá até mesmo levar um dirigente seu para trás das grades.
Os exemplos como os da CBF onde um ex-presidente esta preso e o atual  (licenciado) sem sair do país com medo de tomar o mesmo caminho, os das grades, pelo jeito não serviram de lição e a covardia em investigar seus próprios dirigentes só trás duvidas sobre as reais intenções da entidade. 
Frase: “O medo tem alguma utilidade, mas a covardia não” (Mahatma Gandhi).